A Biocibernética Ramatís-Infantil, destinada às crianças até os quatorze anos, foi separada do atendimento com os adultos já no ano de 1993 por orientação dos Irmãos de Ramatís.

Naquela ocasião recebemos mensagem com orientações específicas para este atendimento e alertando para a presença, em grande quantidade, de seres com outras frequências que chegariam ao nosso Núcleo para avaliação energética e recuperação do equilíbrio de seus campos, tendo em vista que os pais não estavam conseguindo identificar as alterações comportamentais de seus filhos.

Desde então passamos a adotar uma sistemática exclusiva para atendimento de crianças e seus pais, em horários e dias separados do atendimento normal dos adultos.

A grande preocupação na BCR-crianças é a verificação de todo o processo encarnatório do Ser. Assim, na ficha de anamnese holística nos interessa saber o máximo de detalhes com relação ao processo gestacional, hábitos da gestante e o tipo de parto a que o novo Ser foi submetido.

É justamente na investigação que sabemos que a maioria absoluta, ou quase totalidade da desarmonia energética da criança, tem como referencial o desequilíbrio emocional no lar.

O que acontece com maior freqüência é que nem o pai nem a mãe trazem a criança. Pelas obrigações com o trabalho, ou por descrença, ou medo de que alguma pergunta os comprometa emocionalmente, a verdade é que muitas crianças são trazidas para o Núcleo pelas avós, tias, madrinhas ou amigas dos pais.

Nestes casos, após a avaliação, solicitamos a obrigatória presença de um dos pais em dia especial da semana, quando um aprofundamento das investigações possa ser realizado. O atendimento das crianças do terceiro milênio dá-se na seguinte seqüência:

1 – entrevista com o pai ou a mãe;
2 – avaliação energética dos pais e encaminhamento para os atendimentos espirituais do Núcleo;
3 – avaliação e equilíbrio energético da criança, muitas vezes, isolando-a em campos de luz para que possa restabelecer-se, enquanto seus pais realizam os socorros necessários;
4 – encaminhamento dos pais para a Auto-Ajuda e a execução dos trabalhos crísticos distribuídos em forma de orientações escritas.

Uma característica que alertamos é a de que estas crianças do terceiro milênio dificilmente estão obsedadas (isto é, quase impossível até os sete anos). O que acontece é que estes seres maravilhosos “puxam” para seus campos energéticos miasmas e interferências nos pais, procurando protegê-los, já que possuem maior capacidade consciencial / energética que eles.

Daí a razão de ser com os pais as nossas primeiras preocupações onde buscamos conhecer alguns aspectos fundamentais:

– Como foram suas infâncias, suas adolescências, a situação financeira na época da gravidez, etc.
– Aceitação da gravidez, processo gestacional, tipo de parto, abortos anteriores, vícios;
– Os primeiros dois anos e meio de vida. A fixação encarnatória aos sete anos;
– Os níveis de relacionamento e de espiritualização no ambiente do lar.

ATENDIMENTO
Para atendimento, recomendamos efetuar antes um contato com o Núcleo para verificar a possibilidade de atendimento no dia desejado, pois, temos um limite físico que é a nossa capacidade de atender com qualidade uma determinada demanda de Ides (irmãos em desequilíbrios energéticos).

TRABALHADORES
Estamos sempre em busca de novos voluntários para este atendimento e muito nos alegra quando alguém vinculado a área da saúde clínica nos procura para realizar os cursos preparatórios.

PALESTRAS
Tem sido comum a solicitação para que o Núcleo realize palestras em escolas públicas ou particulares para pais, professores e convidados. Aceitamos convites, normalmente aos sábados, bastando para isto o agendamento junto ao Núcleo. É importante que professores e pais aprendam a entender estes seres, olhando não para suas presenças físicas mas sim para “quem” está por trás de toda a alteração comportamental.

PAIS
Basta dos pais fugirem da responsabilidade de educar e mostrarem-se como exemplos. A aceitação da presença de seus filhos é o comprometimento realizado no Plano Maior com suas aquiescências e também do espírito encarnante.
É preciso rever valores, padrões de autoridade e principalmente o poder do para desligar a televisão ou computador para dialogar com os filhos e mostrar mais companheirismo e amor.
Basta. Temos que mostrar às crianças os valores de
ser e não somente de ter. Para tanto, será importante lembrar esta poesia de Khalil Gibran:

Teus filhos não são teus filhos são filhos e filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de ti, mas não de ti e embora vivam contigo, não te pertencem.

Podes outorgar-lhes teu amor mas não teus pensamentos, porque eles tem seus próprios pensamentos.

Podes abrigar seus corpos, mas não suas almas, pois suas almas moram na mansão do amanhã que não podes visitar, nem mesmo em sonho”.